3

Era uma vez … – Livro a Culpa é das estrelas

Olá Cinderelas

Hoje trago para vocês mais uma resenha de livro. Vi que muitas pessoas procuram sobre o tão famoso A culpa é das estrelas, então decidi fazer uma resenha dele para vocês, vamos lá?

abertura-melina

** A continuação do post contém Spoilers **

Sinopse: Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

A História:

Conta a história de Hazel Grace, uma garota de 16 anos e portadora de câncer no pulmão. Eu definiria ela como uma lutadora valente. Durante o livro ela diz ser apaixonada por “Uma Aflição Imperial” de Peter Van Houten. Um livro que a deixa perplexa por não haver continuação.

Sua mãe decide que ela deverá participar de um grupo de apoio. Hazel conhece Augustus Waters, um garoto de 17 anos que perdeu a perna por causa do câncer.

Eu definira Gus como um garoto alegre e extrovertido do qual sempre estava com um cigarro na boca, porém nunca acesso. “É colocar o objeto que te mata na boca, mas não dá-lo o poder para isso. “

Como Hazel tinha câncer eu sabia o final do livro, sabia que ela iria morrer. Mas Jhon Green é Jhon Green, ele deu um jeito de uma tragédia ser “melhor”.

“Aparentemente, o mundo não é uma fábrica de realização de desejos.”

Minha Opinião:

Eu nunca tinha lido um livro que tratava o câncer, e sendo sincera, eu achei que não iria gostar. Eu comecei a ler por indicação de algumas pessoas e durante as primeiras 10 páginas do livro eu ficava com aquilo na cabeça de: “vai ser chato”, mas não foi. Mesmo eu sabendo o final do livro assim que comecei a le-lo não tive como parar, ele realmente nos prende na história e isso é bem legal. Quando eu pego um livro para ler eu gosto de viver a personagem, tentar sentir o que ela sente ,etc (por isso achei que não iria gostar do livro), mas se eu acabei-o em um dia só; Quer dizer que eu gostei haha.

Esse foi o típico livro da depressão. Fiquei chorando durante 1 hora quando ele acabou, e entrei em uma depressão de uma semana na qual eu só repetia “Quero um Gus pra mim” “Porque?” “Não pode acabar”

Mas no geral, eu amei ele. John Green é um dos meus autores favoritos, e eu sabia que mesmo eu tido adivinhado o final ele teria um gostinho a mais do que eu imaginava porque é sempre isso que o John faz. Criei uma coisa chamada pauta do John:

  1. Ele escreve;
  2. Eu tento descobrir o final;
  3. Eu choro;
  4. O final é como eu pensava;
  5. Porém com um “Q” a mais que só o John consegue me fazer gostar;
  6. Eu anseio por mais;
  7. Entro em depressão;

Bom pessoal é isso, espero que tenham gostado da resenha de hoje, mil beijos.

“Alguns infinitos são maiores que outros… Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Eu queria mais números do que provavelmente vou ter.”

Por: Giovanna

0

Nas unhas – Cluber da Colorama

          Olá Cinderelas!!!

Hoje vim mostrar para vocês o esmalte que eu estou usando, o Cluber da Colorama!

Esse definitivamente está sendo o meu esmalte favorito. Ele fica super bonito em peles mais morenas, além de ser uma cor LINDA, um pink bem forte.

Ele é um esmalte cremoso, com um brilho intenso e de fácil aplicação, com apenas uma camada ele proporciona uma cobertura uniforme, mas eu prefiro aplicar sempre duas camadas. Ele também é  fácil de limpar. Ele já virou o meu queridinho, esse já é o meu terceiro frasco! haha.

Bem,acho que era isso que eu tinha pra falar sobre ele! Agora confiram as fotos:

DSCF0333

DSCF0331

DSCF0330

DSCF0299

Esse foi o post de hoje meus amores. Beijos e até  a próxima. Tchau Tchau

por: Bruna